O POMO DA DISCÓRDIA

Peleu, rei de Iolcos, ficou viúvo e resolveu se casar com a Nereida Tétis. 

Foi um dos casamentos mais importantes da antiguidade.  Até os deuses vieram assistir à cerimonia, e trouxeram os mais lindos presentes. 

Peleu havia mandado convite para todas as divindades, maiores ou menores, exceto uma:  Éris, a Discórdia.

Estavam no melhor da festa, quando a terrível Éris surgiu.  Chegou e colocou sobre um apedra, um pomo (fruto) de ouro, com esta inscrição:

– À mais bela!

Aquilo era uma provocação às três grandes deusas ali presentes:  Hera, Atena e Afrodite. 

Atena - Hera - Afrodite

Atena - Hera - Afrodite

A qual fazer-se a entrega do pomo?  Como decidir qual das três a mais bela?

Zeus se recusou a julgar um concurso de beleza entre sua esposa e duas de suas filhas.

Tornou-se necessário um outro juiz. 

O julgamento de Páris - Rubens

O julgamento de Páris - Rubens

Hérmes convidou para juiz, o jovem Páris, que ainda era um pastor em Ida. 

Cada uma das deusas prometeu a Páris uma grande recompensa, se fosse a escolhida.

Hera lhe ofereceu poder, Atena lhe ofereceu glória militar e sabedoria, e Afrodite lhe ofereceu como esposa, a mais bela mulher do mundo.

O julgamento de Páris - Rubens

O julgamento de Páris - Rubens

Páris olhou para as três divindades e entregou o pomo à Afrodite, a deusa da beleza.

Hera e Atena roeram-se por dentro, de inveja, e para se vingar do julgamento daquele juiz de Tróia, provocaram a guerra entre os gregos e os troianos, da qual Tróia saiu destruída.

O julgamento de Páris - Salvador Dali

O julgamento de Páris - Salvador Dali

Anúncios

« Older entries

%d blogueiros gostam disto: